Posted on

Azul no décor: como usar a cor do bem estar

decoração | Korman Arquitetos

 

Carina e Ieda Korman dão exemplos com projetos do próprio escritório de como fazer uso da cor em diversos ambientes.

 

As arquitetas que dão nome ao escritório Korman Arquitetos, sempre investem nas cores para equilibrar os ambientes, navegando entre tantas possibilidades que cada uma delas traz diversos tons, significados e possibilidades. Assim é o processo do décor que utiliza o azul, cor que expressa tranquilidade e serenidade, capaz de acalmar à primeira vista. Remete ao mar, ao céu e à natureza e, por isso, tem essa influência tão positiva: traz para dentro de casa a sensação de frescor. Optar por tintas, móveis, decoração e acessórios nessa tonalidade é uma aposta certa para criar um ambiente despojado, mas também é preciso parcimônia para não exagerar nos azulados.

 

Pequenos grandes detalhes: acessórios nunca passam despercebidos no décor, pelo contrário, garantem harmonia, conectando-se com os demais elementos do ambiente para criar uma atmosfera rica | Foto: Gui Morelli

 

De acordo com levantamentos realizados pelas universidades americanas de Rhode Island e de Wisconsin, em 2022, a cor preferida da maioria das pessoas é o azul. E o motivo é uma associação do subconsciente a objetos que cada um tende a já gostar e valorizar, como, justamente, o céu e o mar. Já um segundo estudo feito em 2009, pela Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá, mostrou que indivíduos trabalhando em frente a uma tela azulada tiveram ótimos resultados em tarefas de cunho criativo.

 

Quando o assunto é décor, o tom frio é um aliado por combinar muito bem com praticamente todas as cores, principalmente o verde — ao seu lado no círculo cromático — e o laranja, vermelho e amarelo, cuja harmonização é por contraste. Além disso, existe muito o que explorar dentro das nuances do próprio azul, que do mais claro ao mais escuro, agrega bastante ao design.

 

Tanto o tom como a quantidade de azul, e onde ele será colocado, devem passar por uma análise cuidadosa, em que tudo vai depender do desejo e personalidade do morador: caso a vontade seja de esbanjar calmaria, as opções são pintar uma parede ou investir em marcenaria totalmente nesta cor. Por outro lado, se é uma pessoa que enjoa logo e está sempre renovando pequenos detalhes da casa, o melhor caminho são os objetos de decoração, como roupa de cama, almofadas, quadros e vasos, etc.

 

“O principal objetivo, invariavelmente, é ter um visual equilibrado, essa deve ser a estrela-norte em todo momento”, afirma Ieda. Portanto, a dica é apostar em uma base sóbria que não conflite com os tons coloridos.

 

 

Marcenaria azul é opção para quem ama a cor e deseja trazer um toque vibrante ao cômodo — claro, sem perder a elegância. Na primeira foto, as cadeiras, com encosto em corda náutica azul, ajudam a arrebatar a varanda gourmet, que também tem a marcenaria da bancada no tom petróleo. À esquerda, o rack azul se complementa com o aconchego do painel ripado da TV instalada no home theater | Foto: Eduardo Pozella

 

Com o mobiliário marcado pelo minimalismo, o tapete azul claro entra para ‘quebrar’ a paleta clean no projeto da esquerda, ainda assim mantendo a serenidade que pauta todo o cômodo | Foto: Eduardo Pozella

 

Aqui, o lounge foi criado com o intuito de ser um espaço intimista, onde se reúnem amigos e familiares. O mobiliário azul casa perfeitamente bem com esse objetivo, dando um ar acolhedor e tranquilizante aos momentos especiais | Foto: Eduardo Pozella

 

fotos | Eduardo Pozella, Julia Novoa, Sérgio Luiz Jorge e Gui Morelli

Deixe um comentário

Your email address will not be published.
*
*