Posted on

Arquiteto constrói Tiny House na Serra da Mantiqueira

Projeto totalmente sustentável foi idealizado e construído por Ricardo Delgallo para ser seu refúgio nas montanhas

 

Localizada no alto do Pico dos Marins, região da Serra da Mantiqueira, interior de São Paulo, a Tiny House projetada pelo arquiteto Ricardo Delgallo é a realização de um sonho, pautado em ter um local único e acolhedor, construído com as próprias mãos. O conceito de Tiny House, que significa ‘casa pequena’, nasceu nos Estados Unidos como opção de moradia sem luxo. É embasada no minimalismo, possui características peculiares entre as quais metragens pequenas como o próprio nome sugere – até 40 m² –, mas sem abrir mão do conforto e da praticidade de uma casa e, deve ser, em sua maioria, ambientalmente responsável. 

 

 

 

Assim, Ricardo Delgallo tirou o projeto do papel e, literalmente, levantou uma Tiny House em meio ao sossego e beleza da mata atlântica. Com 20m² de ambiente, mais o espaço do deck com igualmente 20m², o projeto batizado de Tiny House Alto Marins é uma experiência de arquitetura responsável. Com quarto, sala, cozinha e banheiro, a casa é completa, ideal para acomodar um casal e, fugindo do lugar comum das construções desse modelo mundo afora, o arquiteto não poupou na escolha dos materiais. 

 

 

Pisos, luminárias e demais itens, foram pensados a fim de criar uma estética rústica e oferecer uma experiência inovadora. Móveis, tanto externos quanto internos, foram projetados pelo próprio arquiteto, o que confere ainda mais exclusividade e sofisticação. Churrasqueira em aço corten, que oferece maior resistência à corrosão, e demais peças de mobiliário como mesas e cadeiras feitas em madeira, transformam o ambiente em um lugar único, confortável e aconchegante.  

 

 

Um capítulo à parte, grandes janelas possibilitam a incidência de luz natural e oferecem vistas deslumbrantes para as montanhas. Outro destaque construtivo é o uso de madeira de demolição no revestimento interno, sendo utilizado a peroba rosa rústica. Também em madeira, o revestimento da parte externa recebeu a técnica japonesa Shou-sugi-ban que consiste na carbonização dessa matéria, garantindo qualidade, durabilidade e impermeabilidade, algo importante por se tratar de uma área que sofre diversos tipos de intempéries. Ainda na parte externa, uma das paredes da casa possui um jardim vertical, proporcionando mais frescor para seu interior e, além disso, deixa esse lado da estrutura praticamente camuflado em meio à mata. 

 

 

 

Instalada a 1.500 metros de altitude, a Tiny House foi construída por apenas quatro pessoas, incluindo o próprio arquiteto e mais três trabalhadores. Ao todo, a obra demorou apenas 45 dias graças ao método construtivo de woodframe – sistema construtivo com montantes e travessas em madeira e considerado sustentável, pois é desenvolvido a partir da utilização de madeira reflorestada e tratada. Ricardo explica que esse tempo foi necessário, principalmente, por conta da localização. “Por ser uma região de alta montanha e devido à variação do tempo e logística – já que o terreno não possui energia, então tudo foi feito com gerador e ferramentas à bateria –, somou-se 45 dias trabalhados.” Vale ressaltar que a casa não utiliza nenhum tipo de energia a base de combustível fóssil. Ao contrário, o fogão cooktop, assim como o chuveiro, as luzes e demais equipamentos, se utilizam de energia solar off-grid cuja principal característica é o ‘autossustento’ que armazena energia solar em baterias.  

 

 

A fim de evitar interferências na topografia original do terreno, a Tiny House Alto Marins é sustentada por nove pilares e, para conseguir melhor conforto térmico, foi utilizado lã de vidro ecológico em toda a casa. Uma manta asfáltica garante a impermeabilização do telhado, e papel poliestileno instalado nas paredes externas, impede infiltração de água para seu interior, mas permite que a casa respire, criando uma atmosfera mais confortável. 

 

fotos | Thiago Farias

Deixe um comentário

Your email address will not be published.
*
*